RSS

Arquivo mensal: agosto 2013

Com espingarda Marcelo Pesseghini atirava em animais

Estudos em todo o mundo  tem comprovado que a maioria dos assassinos em série, começaram por maltratar, torturar e matar animais em sua infância, e mesmo diante de tantas evidências de que os animais são seres sencientes, ou seja, que eles têm capacidade emocional para sentir dor, medo, prazer, alegria e estresse, além de terem memória e, até mesmo, saudades, quaisquer indícios de maus-tratos aos animais, por pessoas de qualquer idade, inclusive crianças deveriam demonstram que essas pessoas não são “normais”. Conforme o preâmbulo dos Direitos Universais dos Animais – ONU – UNESCO – “É universalmente proclamado que o respeito aos animais pelo homem está diretamente relacionado com o respeito dos homens entre si”, ou seja, o ser humano  somente está apto para conviver com seus próprios semelhantes, na medida em que for capaz de respeitar os animais.

pesseghini-animais

Marcelo Eduardo Bogo Pesseghini, tinha uma espingarda de pressão e gostava de atirar em animais, como cães e passarinhos. Vizinhos teriam reclamado para a mãe do estudante, que chamou o garoto para conversar. Quando a mãe alertou que o deixaria sem a espingarda, ele ameaçou de matá-la.

O relato acima foi dado por um amigo íntimo do sargento da Rota Luís Marcelo Pesseghini, pai de Marcelo, que também é PM, à polícia esta semana. A testemunha, com qual o sargento Pesseghini fazia confidências, disse que o caso lhe foi relatado semanas antes do crime. O pai de Marcelo teria recebido um telefonema e ficado preocupado. Na ocasião, ele teria dito ao amigo que sua mulher foi ameaçada de morte pelo filho.

A testemunha disse à polícia que Andréia avisou que ele deveria parar de acertar em bichos e explicou que só poderia usar a arma contra um alvo em casa.

O filho, segundo o policial, ficou contrariado. “Eu só quero acertar em animais”, teria dito Marcelo.

Quando a mãe alertou que o deixaria sem a espingarda, ele ameaçou de matá-la, relatou o PM. O colega do sargento Pesseghini descreveu o jovem como um excelente atirador. O depoimento do amigo do sargento é mais um dos relatos que a polícia reúne para tentar compreender o comportamento de Marcelo.  (Fonte: Estadão)

“Uma vizinha contou que sempre via Marcelo na calçada de casa com uma arma de brinquedo. Segundo ela, o rapaz atirava em passarinhos e até em pessoas que passavam. De acordo com a polícia, cerca de duas semanas antes dos crimes, o rapaz passou a dizer aos amigos que queria matar os pais, fugir e se tornar um assassino de aluguel” (Fonte R7).

Fato é que D. Berenice Oliveira , avó de Marcelo Pesseghini, tinha dois gatos, um preto e um marronzinho que sumiu conforme relatos de vizinhos (Fonte: Uol)

Em entrevista ao Profissão Repórter, uma outra tia-avó de Marcelo Pesseghini, disse que esteve na casa pela manhã no domingo fatídico, e que suas irmãs, as mesmas que mais tarde seriam assassinadas estavam muito tristes, mas que ela não perguntou porque……seria talvez pelo sumiço do gato?

Olhando com olhos mais atentos para as fotos divulgadas pela mídia, o sargento da Rota Luís Marcelo Pesseghini, abraça carinhosamente o cachorro enquanto que seu filho apesar de parecer que o está acariciando dirige um olhar bem intrigante para o animal. E em outra foto vemos a cabo Andréia segurar o cão para que ficasse ao lado do filho.

pesseghini-animais2

Estranhamente, os parentes das vítimas que após 3 dias da tragédia, retiraram o que consideravam pertences de valor do imóvel, deixaram para trás os animais.

O gato preto foi abandonado e fica andando pelo muro, para em frente à janela do quarto dela e mia várias vezes ao dia”, contou um vizinho que não quis se identificar (Fonte: Uol)

O cachorro que também foi deixado no imóvel pelos parentes, só foi levado sabe-se-lá para onde…somente depois que a postagem  “Um Cão na Tragédia da Família de PMs Brasilândia/SP”, chegou as redes sociais, onde a Luísa Mel e a equipe @emergenciaanimal, foram até o local oferecer ajuda e para verificar o estado do cachorro. Conforme postagem da Luísa Mell em seu perfil do facebook, um irmão de umas das vítimas recusou a ajuda, dizendo que já tinha escolhido um dono para o cachorro.

animais-pesseghini

 

Um adesivo, meu sinal de alerta

Desde a veiculação das primeiras imagens, com a sensação de impotência e tristeza pela tragédia, um fato me chamou a atenção, o adesivo no carro da cabo Andréa tinha também um cachorro, além do pai, da mãe, do filho e de sua avó, e pelo que sei as pessoas costumam somente colocar adesivos caracterizando sua família, portanto presumi que eles realmente tinham um cão na família.

O fato de a mídia não falar absolutamente nada sobre o assunto, sendo que estavam esmiuçando a vida da família, também me deixou preocupada, afinal, não seria quase óbvio que se fossem bandidos que tivessem invadido a casa, que o cão da família latisse, ou que na pior das hipóteses que o cão também tivesse sido morto?

O vídeo divulgado pela polícia mostrando o menino indo do carro a escola por duas vezes no mesmo dia, e a enorme quantidade de provas apontam que o garoto 13 anos é o causador dessa tragédia, já que conforme estudos do FBI, na sua grande maioria (cerca de 80%), os psicopatas começam a carreira matando animais. Por isso, em países como Estados Unidos e Inglaterra, os matadores de animais já são tratados e julgados de forma diferenciada que avança para muito além do crime de maus-tratos a animais.

Nesses países já se entende que deter esses indivíduos ou monitorá-los, quando começam a maltratar ou matar animais na infância, representa uma medida preventiva, de proteção não somente aos animais, mas a toda a sociedade.

BETH_THOMAS

Enquanto muitas pessoas (a maioria que nunca jamais o conheceu pessoalmente), se recusa a acreditar que ele seja o autor dessa tragédia, baseados apenas nas fotos veiculadas como sendo uma “família feliz”, e desde o principio duvidando da polícia, como se alguém do alto escalão, fosse o assassino, e todos (polícia, perícia, Ministério público), devessem conspirar para proteger a identidade dessa celebridade.

O refrão conhecido era de que o garoto sempre brincava de bola com a avó, ainda não ouvi nenhum comentário que dissesse; que ele levasse o cão para passear ou que gostasse ou não gostasse do animal.

526324_10200442402213951_1118747146_n

 

Links:

07/08/13 – Um Cão na Tragédia da Família de PMs Brasilândia/SP.
http://muralanimal.blogspot.com.br/2013/08/um-cao-na-tragedia-da-familia-de-pms.html

08/08/13 – O Futuro do Cachorro será decidido pelos Parentes da Família Assassinada em SP
http://muralanimal.blogspot.com.br/2013/08/o-futuro-do-cachorro-sera-decidido.html

15/08/13 – ANIMAIS QUE PERDERAM A FAMÍLIA NA TRAGÉDIA DA VILA BRASILÂNDIA/SP
http://muralanimal.blogspot.com.br/2013/08/animais-que-perderam-familia-na.html

A MALDADE INFANTIL E OS ANIMAIS
http://muralanimal.blogspot.com.br/2013/08/a-maldade-infantil-e-os-animais.html

Anúncios
 

ANIMAIS SÃO RESGATADOS DA ENCHENTE NA ILHA DO PAVÃO PELO SEDA

A Secretaria Especial dos Direitos Animais (Seda), nesta quarta-feira, 28, resgatou 26 cães adultos, cinco filhotes e uma gata prenhe pertencentes às famílias da Ilha do Pavão, atingidas pela enchente. Cerca de 60 pessoas estão em três abrigos no local, dividindo o espaço com animais. “Como o espaço dos abrigos é limitado, aos cães não é permitida a permanência durante a noite. Mas sabemos que, quando vamos embora, eles colocam alguns para dentro”, revelou Carmem Tabajara, assistente social da Fasc.

ANIMAIS SÃO RESGATADOS DA ENCHENTE NA ILHA

De acordo com a secretária Regina Becker, que acompanhou a ação, os cães foram levados para a Área de Medicina Veterinária da Seda, onde serão vermifugados, vacinados e esterilizados, mediante autorização dos proprietários. O trabalho na Ilha do Pavão envolveu o cadastramento dos animais, de seus responsáveis e registro fotográfico.

A equipe da Secretaria retornará à Ilha na tarde de quinta-feira (29) para resgatar o restante. “Foi um momento único ver as pessoas se despedindo dos seus bichos, mesmo sabendo que por um período curto. Eles têm um significado diferente na vida delas. A maioria dos cães foi abandonada na rodovia, na região das Ilhas, e acolhida por famílias em situação de vulnerabilidade social, em uma clara demonstração de solidariedade e acolhimento”, relata Regina.

Os animais ficarão abrigados na Área de Medicina Veterinária até as famílias retornarem para suas casas.

Fonte: Prefeitura de Porto Alegre

 

ALÔ SENADO OS ANIMAIS PEDEM JUSTIÇA

Um telefonema seu,  pode salvar a vida de muitos animais no Brasil.
animais-senado

Tramita no Senado o projeto de reforma do Código Penal, onde os crimes e as barbáries que ocorrem diariamente contra as pessoas e os animais, nos afligem, e nos revoltam. Hoje ainda podemos nos manifestar, pedindo penas mais duras e mais eficientes, para que com isso esses crimes deixem de acontecer, mas depois de aprovado, pouco poderemos fazer.
Como quem sabe faz a hora e não espera acontecer, a hora de ligar para o ALÔ SENADO 0800-612211, pedindo para que os crimes contra os animais também tenham flagrante e prisão é agora!

O projeto encontra-se em análise no Senado, e, se aprovado, seguirá para análise da Câmara dos Deputados. É fácil, basta ligar no 0800-612211, ou fazer seu cadastro no site para deixar seu comentário e contribuir para a defesa dos animais e da sociedade como um todo, afinal é mais do que sabido de quem maltrata animais, maltrata crianças, idosos, quaisquer pessoas indefesas também.
Vale lembrar que um dos muitos casos que chocou o Brasil, e atraiu atenção mundial, o da Enfermeira que espancou e matou a Yorkshire, –  o crime foi cometido em 14/11/2011, e até hoje ela não foi sequer julgada, nem sequer ficou um único dia detida na prisão.

Quem-vai-nos-proteger

 

Relator retira inovações do novo Código Penal

Pedro Taques diz que não propôs redução de penas para crimes contra animais

Em discurso nesta segunda-feira (26), o senador Pedro Taques (PDT-MT) registrou que vem recebendo críticas pela internet e redes sociais em razão de seu relatório preliminar ao projeto do novo Código Penal. Segundo disse, ele vem recebendo “críticas terríveis”, inclusive com ameaças físicas, de pessoas que o acusam de ter diminuído, em seu relatório, as penas de crimes praticados contra animais. Taques lamentou o teor violento de algumas das mensagens e afirmou não ter diminuído as penas para crimes contra animais em seu relatório.
– Estão protegendo os animais, mas querem espancar um animal racional, ao menos relativamente racional. Estão pedindo respeito aos animais irracionais e estão agindo de forma também irracional, porque não leram o projeto – disse Pedro Taques.
Taques explicou que recebeu o projeto para relatar depois de sua elaboração pela Comissão de Juristas. Esse grupo de juristas, disse Taques, teria estabelecido penas para proteção de animais “de forma exasperada”.
Como exemplo, Taques disse que o anteprojeto dos juristas previa pena de maus-tratos a animais superior à pena do crime de infanticídio. Taques afirmou que, como relator, teve de adaptar o texto levando em conta os princípios de razoabilidade e de proporcionalidade das penas.
– Em nenhum momento foi diminuída a pena dos crimes praticados contra animais, aliás, a Lei nº 9.605, de 1998, estabelece os crimes contra a fauna – a fauna silvestre, a fauna doméstica, a fauna exótica, a fauna ictiológica – afirmou.
Em seu substitutivo, exemplificou Taques, as penas para matar animal silvestre ou para maus-tratos contra animais foram aumentadas em mais que o dobro das penas atuais.
– Portanto, não houve, de nenhuma maneira, redução do que já existe; o que houve foi que nós fizemos a adequação, porque não é possível que maus-tratos a animais possa ser penalizado, no preceito secundário da norma penal, mais elevado do que o crime de infanticídio e do abortamento, porque isso não se apresenta como razoável, porque a dignidade penal, aquele bem jurídico que possui a maior dignidade penal é a vida daqueles animais que são racionais, ao menos alguns são racionais – declarou.
Fonte: Senado
justica_lana_preta[5]
justica-animais

 

Vídeo flagra filhotes sendo abandonados por carro no Paraná

Se não presenciou, mas se indignou com essa covardia, empreste a sua voz a quem não pode se defender! Ligue para o ALÔ SENADO 0800-612211, e exija penas mais duras para quem abandona ou maltrata animais.

Conforme a lei 9605/98, parágrafo 32, inciso primeiro e segundo, “abandonar e maltratar animais é crime e a pena varia de três meses a um ano de detenção”.“Atropelamentos também são considerados maus-tratos.

Vídeo flagra filhotes sendo abandonados por carro no

Em Piraquara, município da Grande Curitiba, um Monza para e rapidamente joga filhotes pela Estrada. Um ciclista que passava filmando o passeio flagrou a covardia.

 

A monstruosidade desse abandono é imensa, quando nos damos conta de que o homem simplesmente abre a porta do motorista e larga os filhotes literalmente no meio das faixas de uma estrada federal num local sem acostamento, e os filhotes andam de um lado para outro por debaixo do carro, porque com certeza a quentura do asfalto deveria ser imensa para suas frágeis patinhas, e eles tentavam voltar para o carro.

Não consta até o momento que os filhotes tenham sido resgatados.

Piraquara, com seus mananciais, é área de proteção ambiental e responsável por cinquenta por cento do abastecimento de água da grande Curitiba

Atualmente, abriga o maior complexo penitenciário do Paraná. Dizem que o homem é um Agente Penitenciário.

O que fazer para denunciar?

Se o animal for agredido, obtenha o maior número de informações para identificar o agressor. Em caso de atropelamento ou abandono, anote a placa do carro para identificação do Detran. 

Se você presenciar qualquer animal sendo maltratado, você deve denunciar pessoalmente na Delegacia de Polícia Civil Especializada ou mais próxima, ou na Promotoria do Meio Ambiente. Não se Omita!

O que é crime:

– Abandonar o animal;

– Manter o animal preso em correntes ou em lugares fechados;

– Fazer o uso de qualquer tipo de violência contra o animal (espancar, bater, golpear com objetos ou com a mão);

– Manter em locais sem higiene e sem conforto nenhum;

– Manter em local sem ventilação e sem luz solar adequada;

– Envenenar o animal;

– Não levar no veterinário quando ele adoece;

– Obrigar o animal a trabalhar excessivamente ou com esforço superior a sua força;

– Capturar animais silvestres;

– Promover violência como rinhas de galo e farra-do-boi.

SE NÃO PRESENCIOU, MAS SE INDIGNOU EMPRESTE A SUA VOZ A QUEM NÃO PODE SE DEFENDER!

526324_10200442402213951_1118747146_n
LIGUE PARA O ALÔ SENADO 0800-612211 E EXIJA PENAS MAIS DURAS PARA QUEM ABANDONA OU MALTRATA ANIMAIS

crueldade-animais

 

Crianças torturam e tentam afogar cachorro

As fotos e o vídeo de crianças que com uma corrente presa ao pescoço do cão, o arrastam por diversas vezes para tentar joga-lo a um canal de irrigação, aconteceram na Turquia. O cão consegue boiar, e retirado da água para ser jogado mais algumas vezes. As imagens do pavor do cão, em tentar se distanciar dessas crianças maldosas tem gerado preocupação, já que não se sabe o paradeiro do cão.

Crianças torturam e tentam afogar cachorro

Veja o vídeo

Idoso não abandona cão durante enchente

Sem condições físicas de levar o cachorro no colo por um longo caminho em meio às ruas alagadas do bairro Navegantes, um dos mais atingidos pela enchente que deixou 313 pessoas desabrigadas em São Sebastião do Caí, o idoso aguardou o socorro ao lado do cão por intermináveis dois dias.

Sem saber a quem poderia recorrer, o senhor de 83 anos, que pensou que a sua família viria ajudá-lo a sair de casa junto com o animal, abrigou o cachorro em meio ao vento, frio e chuva incessante, que já adentrava a sua residência.

idoso-cao
— Eu não queria sair sem o Urso. Eu tenho ele há seis meses apenas, mas é o meu único companheiro na casa. Não poderia abandoná-lo — disse Couto da Rosa, que já morou na Fronteira e, ultimamente, vivia em Rio Grande, antes de mudar-se para São Sebastião do Caí há pouco mais de um ano.

A equipe de Bombeiros voluntários de São Sebastião do Caí respondeu a um chamado da família do idoso, que mora na cidade vizinha de Harmonia, e foi resgatá-lo. Caso a espera fosse maior, Washington Couto da Rosa não resistiria, segundo o comandante operacional da corporação no município, Anderson Jociel da Rosa.

— A água já estava no joelho desse senhor. Ele estava fraco, com muito frio e abraçado com o cachorro. Nós o trouxemos rapidamente para a nossa central de resgates. Colocamos um cobertor nele, e já providenciamos a sua internação no Hospital Sagrada Família — recordou Rosa.

Com hipotermia, Couto da Rosa foi internado, ainda trôpego, em virtude das horas que ficou com a água corrente em suas pernas, e triste pela perda de seus poucos bens.

— Ele estava combalido emocionalmente e com “geladura”, que é o termo técnico que nós usamos. Tinha vindo morar na cidade há pouco tempo, para ficar perto das filhas. Ele não sabia que São Sebastião do Caí tinha esse problema enorme com as enchentes. Estava chateado porque tinha perdido tudo o que tinha — explicou o médico que atendeu o paciente, Ricardo Fernando Jantzen.

Após chegar no início da tarde no hospital, o homem de 83 anos foi liberado às 16h e levado pela prefeitura para a casa de suas duas filhas em Harmonia. Quando chegou, ele só queria uma coisa.

— Quero tomar um banho muito quente. Agora que sei que o Urso está bem, posso descansar e tomar uma canja — concluiu, sabendo que o cão está no abrigo improvisado de cães resgatados do Parque Centenário, organizado pela ONG Vira-Lata da Net.

Ponto de coleta de doações: Escritório contábil Flores, 1º de maio, 617 – centro. Ou pelo fone: 51 – 8111-3840 com a presidente da Ong Paola.

Ou acessem o face: https://www.facebook.com/viralata.nanet

viralatadocai abrigo_cai

Animais resgatados de enchente no Caí precisam de ajuda!

Em meio às enchentes causadas pelas fortes chuvas dos últimos quatro dias no RS, milhares de pessoas ficaram desalojadas e desabrigadas. Em alguns casos os animais de estimação não conseguiram ser socorridos na pressa para manter os filhos a salvo ou para buscar alojamento. Para ajudar os bichos, um abrigo foi improvisado na cidade de São Sebastião do Caí.

Até o presente momento Cerca de 38 cachorros já foram resgatados de casas atingidas pelas cheias do Rio Caí em São Sebastião do Caí. O resgate está ocorrendo pelo grupo de voluntários da Ong Vira Lata na Net e pelos Bombeiros. Uma das cadelas resgatadas deu cria no abrigo que foi improvisado no ginásio de esportes onde várias famílias estão abrigadas.

Os animais precisam de doações de caminhas,roupinhas e ração para serem tratados até as águas baixarem.

Fonte: Zero Hora

idoso_cao_cai

 

Aniversário Solidário ADOTOU GANHOU

A campanha vai até dia 29 de setembro, mas lembre-se: Adotar é um ato de responsabilidade. Seja consciente e só adote se de fato estiver disposto a cuidar do bichinho como ele merece.
niver-solidario
ONGs Parceiras (ordem alfabética)
– Adote Sorocaba (www.adotesorocaba.com.br)
– APAA (www.apaa.com.br)
– Centro de Controle de Zoonoses (São Paulo) (www.prefeitura.sp.gov.br)
– Natureza em Forma (www.naturezaemforma.org.br/)
– Projeto Adoção São Francisco (Brasília) (www.facebook.com/projetoadocaosaofrancisco)
– Projeto CEL (www.projetocel.org.br)
– Quintal de São Francisco (www.turmadoquintal.com)
– UIPA (www.uipa.org.br)

Para comemorar seu 11.º aniversário de maneira solidária, a Pet Center Marginal lançou em 24 de agosto, uma campanha em prol da adoção de animais.
Os clientes que adotarem animais em alguma das ONGs parceiras da rede  ganharão kits contendo ração, produtos anti-pulgas, vermífugo, brinquedos, tapete higiênico, petisco, teste de glicemia, desconto em banho e avaliação veterinária gratuita.
“Entre os nossos parceiros nesta iniciativa estão importantes marcas do mercado pet, como Pedigree e Whiskas, Doguitos, Sabor & Vida da Guabi, Virbac com Efipro e Endogard, Cordapete, Petix, Western Pet e Jambo”, explica o diretor de marketing e expansão do Grupo Pet Center Marginal, Hélio Freddi Filho.
 
Deixe um comentário

Publicado por em 08/27/2013 em Cães, Evento, gatos adoção