RSS

Arquivo mensal: março 2011

>Caso Pinpoo, a história por trás da história

>

 

Já dizia aquele velho ditado “recordar é viver”, então antes de colocar os “pinpoos nos “is”, vamos recordar;

02/03/2011 – Aeroporto de Porto Alegre;

  • Um cão dentro de uma caixa de transporte e ao custo de quase R$ 700,00, é deixado no balcão da Cia.Aérea Gol-Gollog, para voar de Porto Alegre/RS a Vitória/ES.
  • A empresa lacra a caixa de transporte, fotografa tudo e PERDE O CACHORRO e avisa a dona que perdeu.

16/03/2011 – Aeroporto de Porto Alegre;

  • O cachorro “Perdido”, pela Gol-Gollog, Infraero, ANVISA, e não “Procurado”, pela 9a. Delegacia de Polícia de Porto Alegre, é devolvido a “dona”;
    • por “homens”, que trabalham nesse mesmo aeroporto, e que “VIRAM PELA TV”, que o cão havia sumido e que estava sendo procurado. Ao “verem”, um cachorro “perambulando” pelo aeroporto, o acharam “parecido” com o “procurado” da “TV”, e o atraíram com comida, para pegá-lo e devolverem a dona.

pimpoo_thumb[1]

Essa é a data inicial e final da viagem do Pinpoo, e contando assim, ninguém iria entender o motivo do porquê os jornais e a TV deram tanta atenção ao caso.

A história por trás da história do caso Pimpoo.

anda_thumb[4]A 1a. vez que li sobre o “desaparecimento do Pinpoo”, foi em 06/03/11 na ANDA-AGÊNCIA NOTÍCIAS DIREITOS ANIMAIS”, da minha querida Silvana Andrade que criou esse espaço tão precioso e necessário, onde além das grandes notícias mundiais sobre os animais, há também espaço para a publicação de leitores e protetores, e como a D.Nair escreveu um e-mail a “ANDA”, para denunciar o ocorrido, e pedindo que as pessoas repassassem a mensagem, porque até então pensava-se que ele teria sido embarcado no voo e extraviado em algum outro lugar do Brasil.

fala_bicho_thumb[1]Depois de 3 dias, quando então a Sheila Moura da “ONG Fala Bicho”, conseguiu falar ao telefone com a D.Nair, e constatar não só o “sumiço do pinpoo”, como o descaso com que são tratadas as “cargas vivas”, pelas companhias aéreas e autoridades e publicou no seu blog “O Grito do Bicho”, uma ação de militância, pedindo aos leitores e aos apaixonados por animais que enviassem e-mails, cobrando das autoridades competentes e da Cia. GOL e Gollog , “ação, apuração e devolução” do cão Pimpoo.

mae_de_cachorro_thumb[1]

 

 

Logo em seguida, Ana Corina, do blog “Mãe de Cachorro Também é Mãe”, aderiu a militância, e criou o slogan da campanha – “GOL, CADÊ O PINPOO?” e “GOL DEVOLVE O PINPOO!!”, e escreveu: Vamos colocar a campanha #GollogDevolveOPinpoo nos Trend Topics Brazil? Basta dar RT neste twit!

 

 

goldevolveopimpoo_thumb

Eu, por minha vez, (para aqueles que não me conhecem), tenho um tempo corridíssimo na internet, mil e uma coisas para fazer e ler, com pouco tempo para militar, enviar e responder e-mails, postar nos meus próprios blogs, mas com uma imensa vontade de ajudar milhões e milhões de animais pelo mundo, desenvolvi um “método próprio” de mobilizar outras pessoas a ajudar esses mesmos animais; faço uma montagem, que as amigas acima chamam de “arte”, e que facilmente é difundido e compartilhado no facebook e em blogs, e ás vezes até por sites como o da Globo.

 

 

adotacao_thumb[1]

 

 

A Nanci do blog “Adotação”, foi quem teve a idéia, de que todos trocassem a foto de seus profiles nas redes sociais, pela minha montagem com a foto do pinpoo e com os dizeres “GOL DEVOLVE O PINPOO”, como forma de pressionar a Gol/Gollog, e as autoridades a procurar e encontrar o cãozinho.

 

 
 

1286394199641986678symbol-sign-male-female-hi_thumbE foi você, sim você que agora está lendo esse texto, que repassou a notícia, de alguns dos links acima, que divulgou, copiou a montagem e que deu um twitt “#GollDevolveOPinpoo”, e compartilhou com seus amigos e conhecidos, e que divulgou no seu próprio blog, que fez com que os grandes jornais e as emissoras de TV se interessassem pelo caso e que o noticiassem dia após dia o caso do sumiço do cão, fazendo com que ele ficasse conhecido para todo o Brasil.

 

Não sei dizer se a D.Nair, é atuante na defesa dos direitos dos animais, e até arisco um palpite em dizer que talvez uma grande maioria que divulgou o caso também não o seja na sua rotina diária, e penso talvez que graças a Subconsciência coletiva”, afetou a todos que souberam da história do sumiço de um “animal” por uma grande empresa que foi paga para transportá-lo.

Nosso subconsciente, nos fez pensar em nossos próprios animais sumindo no ar, e aqueles que não possuem animais devem ter lembrado daquela tia que tanto insistem para que venha passar uns dias na sua cidade trazendo seu animal de estimação consigo é claro. O Pinpoo passou a ser de todos nós, porque todos nós temos ou conhecemos alguém que um dia já teve problemas em como viajar com algum animal, ou aonde hospedá-lo.

Demorei alguns dias para escrever esse texto, na esperança de que a alegria do “reaparecimento do pinpoo”, fosse seguida de alguma ou algumas “mudanças”, na forma como os animais são tratados e taxados por leis, normas e diretrizes, mas os dias passaram e não li sobre nenhuma mudança significativa no Brasil.

Sinto um profundo pesar de saber que o “subconsciente coletivo”, não produza na maioria das pessoas uma ampla visão do que realmente ocorre numa sociedade onde os direitos dos animais existem na prática e aonde existem somente no papel.

Os chamados países de primeiro mundo, não são chamados assim, só por suas reservas cambiais; mais do que legislação, eles realmente atuam, punem, multam, prendem, sem fazer distinção se o “desaparecido” for um cão ou uma criança, sem fazer vista grossa se o “atropelado”, for um “garoto” ou um “gato”. Nesses países as pessoas se orgulham de defender “os menos favorecidos”, e “os animais”, por não falarem e não poderem se defender sozinhos, estão no topo da lista dos menos favorecidos.

Quando me referi a que “homens” que trabalhavam no aeroporto suspeitaram que o cachorro que vagava por lá, fosse o mesmo que estava sendo procurado na TV, quis desvincular a imagem que muitas associaram como sendo a “polícia” que achou o Pinpoo, NÃO – NÃO FOI A POLÍCIA!. Nem a cível, nem a militar! Quem achou o Pimpoo foram verdadeiros “HOMENS”, que optaram por trabalhar na Polícia Militar.

Essa é a diferença entre pessoas que gostam e que respeitam os animais, ELAS SE IMPORTAM COM TUDO E COM TODOS!, ao contrário de certas pessoas que além de não fazerem nada por nenhum outro ser humano, por não serem solidários com coisa alguma insistem em dizer alguma coisa do tipo – porque você não ajuda as crianças pobres, só para fazer com que você se intimide em estar fazendo algo, e se torne tão egoísta a ponto de não fazer nada

Tenho certeza de que se houvesse na carteira de habilitação, a obrigatoriedade de constar se o portador tem ou não animais de estimação, demonstraríamos que pessoas que convivem com animais não efetuam infrações de transito, respeitam os limites, respeitam a vida alheia.

O Pinpoo foi encontrado, mas se não exigirmos que “mudanças” ocorram, não só no transporte, mas no respeito e nos direitos, dos nossos “filhos de pêlo”, estaremos ajudando para que outros animais “desapareçam” do nosso país.

justica_animal_thumb[2]

Anúncios
 

>O mistério resgate cães que sobreviveram ao tsunami

>

 

Novas revelações do vídeo que comoveu pessoas de todo o mundo, e sobre o resgate dos cães.

Slide12_thumb1

Todos que se emocionaram com o drama dos cães, ficaram aliviados, quando a notícia de que eles haviam sido resgatados pelo Sr. Kenn Sakurai foi divulgado.

Entretanto passados 10 dias da filmagem do vídeo, e da informação passada, o Sr. Kenn Sakurai, se recusa a informar a mídia, ou a qualquer dos outros grupos de protetores locais ou a entidades de proteção animal internacionalmente conhecidas o paradeiro dos cães. Não divulga nem fotos do resgate, ou fotos atuais dos cães em algum veterinário ou abrigo.

Antes mesmo do Sr. Sakurai ter divulgado em seu perfil no facebook ter resgatado os cães do vídeo, o Grupo JEARS – Japan Earthquake Animal Rescue and Support , havia enviado voluntários ao local para o resgate dos cães, de onde estavam as voluntárias demoraram algumas horas para chegar a área de Arahama, mas no local somente encontraram pegadas e nenhum cão. Elas também estiveram no único abrigo próximo e não encontraram nenhum cão parecido com os do vídeo.

Slide13_thumb  Slide14_thumb

Slide15_thumb  j01_thumb

O site Global Animal, conseguiu uma entrevista com o Sr. Sakurai que continua afirmando ter resgatado os cães, mas que não vai passar informações sobre eles, por ter prometido isso aos socorristas e ao veterinário, e porque não considera válido a preocupação somente para esses dois animais, quando há ainda tantos mais precisando de auxilio, e que as doações que ele pede não são para os cães do vídeo mas para outros animais.

O site Global Animal também tentou por diversas vezes contato com os repórteres da TV Fuji, sem sucesso, e no dia 24, recebeu uma resposta por e-mail emitido pela secretária FujiTV Internacional:

Fuji Television tem recebido inúmeras consultas sobre os dois cães que a nossa equipe de filmagem encontrou nas ruínas do terremoto/tsunami. Como explicamos em nosso noticiário, pouco depois, ambos foram resgatados por um grupo de proteção animal que tem o conhecimento profissional a respeito de resgate de animais.  O cachorro marrom está indo muito bem. O cão branco era muito fraco no início, mas lhe foi dada uma injeção IV ,e atualmente está com um veterinário. Ambos os cães tinham microchips, e seus respectivos responsáveis foram identificados. Muitos animais de estimação ainda estão encalhados nas ruínas à procura de seus responsáveis. A Fuji Television está aliviado que o nosso filme chamou a atenção dos nossos telespectadores, e que culminou no resgate de pelo menos esses dois cães.

 

Dois ou três cães

Slide1_thumb3

Uma nova revelação notada por uma minoria de pessoas que assistiram ao vídeo, é a de que haveriam três cães na filmagem inicial; o cão ou cadela malhado que vai ao encontro do repórter, o cão branco que está deitado abaixo de um tambor do lado esquerdo do vídeo e um cão preto, também deitado ao lado direito da tela, aonde é possível ver seu contorno e suas orelhas.

Sobre esse terceiro cão preto, nem o Sr. Kenn Sakurai, e nem a TV Fuji, dizem algo ou mencionam sua existência.

 

O vídeo dos cães

Em 15 de Março, quatro dias após o terremoto e a tsunami que atingiram a região norte do Japão, uma equipe da TV Fuji, que estava filmando a devastação na região de Arahama em Sendai flagrou um dos vídeos mais comoventes sobre a solidariedade dos animais, um cachorro, ao lado de outro cão que não se mexia e que parecia estar morto, mas o primeiro cão parece “animar” e “abraçar” o outro que se levanta.

O vídeo mostra o repórter caminhando pela cidade destruída pelo tsunami quando se depara com um cão malhado de cor marrom. O cão vai em direção ao repórter e seu cinegrafista. O cão malhado dá algumas indicações do que precisa, mas o repórter parece não entender o animal. O cão inclusive vira-se de costas e late, como dizendo: – “Siga-me”.

Percebendo que não estava sendo entendido, o cão malhado vai até o cão branco, e o cheira por diversas vezes, como se estivesse tentando acordá-lo. Especialistas em comportamentos caninos que viram o vídeo chegaram a firmar que o cão malhado sentou em cima do focinho do cão branco e urinou sobre ele para anima-lo, o que demostraria tratar-se de uma fêmea, e que o provavelmente tratava de uma mãe cuidado de sua cria adolescente.

Slide8_thumb1    Slide10_thumb1

-“Será que está morto?”, pergunta o repórter. Só então, o repórter se dá conta de que o cão malhado está chamando sua atenção para que eles auxiliem o cão branco, que parece estar desfalecido, o repórter se emociona ao ver a lealdade do animal, que não abandona o parceiro ferido.
É incrível como eles sobreviveram ao terremoto e ao tsunami”, fala o repórter, com a voz embargada.

Veja um novo vídeo dos cães, com legendas em português e em inglês e com a inserção dos fatos ocorridos nestes 10 primeiros dias, os quais ainda mantém pessoas de todo mundo apreensivas quanto ao paradeiro e bem-estar dos cães, sejam eles quantos forem.

 

Enter video caption here
 
 

>Furão encontrado na estação de Trem

>

 

O andarilho foi flagrado correndo alegremente sobre a plataforma número quatro na estação Haymarket, na cidade de Edimburgo, logo após que o trem que vinha de Londres chegou.

mickey_ferret

 

Funcionários da estação conseguiram resgatá-lo, antes mesmo de chamar alguma entidade de proteção animal da Escócia.

Jenny Scott, inspetora sênior da SPCA, foi até a estação e disse que todos estão  ansiosos para devolver o simpático furão, apelidado de “Mickey”, ao seu tutor.

Ela disse: “Quando cheguei para resgatar o furão, os funcionários já haviam conseguido pegá-lo e colocá-lo em uma caixa. “Ele apareceu na plataforma número quatro em torno das sete horas, quando o trem que veio de Londres estava na estação.

-“Não temos certeza, se ele escapou de alguma casa vizinha, ou se ele se arriscou e percorreu todo o caminho da dentro do trem da Inglaterra a Escócia.

“Ele é muito simpático, por isso ele é obviamente, o animal de estimação de alguém.

 

“Gostaríamos muito de devolvê-lo a seus tutores humanos, pois eu tenho certeza de que eles devem estar sentindo muito a falta dele.”

haymarket

“Mickey, o furão, ficará abrigado em uma instituição de caridade para animais, que resgata e realoja animais em Balerno, Edimburgo.

Fonte: http://www.dailyrecord.co.uk

E essa não foi a primeira vez que um Furão apareceu em um trem. Em Maio de 2003, a manchete no site da BBC dizia;

“Furão esfomeado provoca susto em linha férrea”

ferret20train

O furão causou um tumulto a bordo do trem da companhia “Midlands Mainline”, também do Reino Unido.

Foram os passageiros que entraram em pânico dentro do trem, enquanto o Furão procurava entre os assentos algo para comer e acabou por lanchar o almoço, do maquinista.

Os passageiros ficaram todos apavorados porque parecia  que o furão queria mordê-los.

“Eles estavam enlouquecendo”, disse o porta-voz da Midland Mainline.

Assustados, os passageiros começaram a gritar com o Furão, que havia vindo da rua e que foi escalando com seus pulos chegando a estação em Long Eaton, no Derbyshire., e acabou por saltar a bordo do trem.

Existem vários tipos de animais selvagens correndo velozmente em torno do trilhos da linha ferroviária Midland Mainline, mas esse foi muito mais esperto, pois correu direto para a cabine do maquinista e mergulhou em sua sacola aonde estava sua marmita.

Um porta-voz da empresa disse que então o maquinista, desembrulhou seus sanduíches de queijo e também os biscoitos que levava e alimentou o furão para mante-lo feliz.

O maquinista do trem chamou pelo rádio a próxima estação, a de Leicester, que estava a 15 minutos de distância, para pedir ajuda.

Os inspetores da RSPCA foram chamados a bordo do trem,  e conseguiram pegar o furão com uma caixa de papelão.

furao_reinou

Fonte: http://www.dailymail.co.uk

 
 

>Ilha dos Gatos no Japão, recebe ajuda.

>

 

Desde o terremoto seguido do tsunami, quando postei sobre a Ilha dos Gatos (Cat Island em inglês e Tashirojima em japonês), estou colada nos fóruns internacionais, para saber se tudo estava bem por lá.

Apesar de muitos terem divulgado “que a ilha sobreviveu”, isso eu não tinha dúvidas…, queria realmente saber das pessoas que na sua maioria eram todos idosos com mais de 60 anos e os gatos.

Agora efetivamente, posso dizer “Os Gatos e as Pessoas da Ilha dos Gatos Sobreviveram”.

gato_ilha

Na manhã de 22 de março, helicópteros ASDF pousaram na remota ilha de Tashirojima, a via aérea, era a única maneira de acessar certos lugares, já que alguns trechos foram engolidos após o tremor de terra.

resgate_ilha

 

Em Tashirojima, 80% da população total são as 73 pessoas, com mais de 65 anos.

Cerca de uma semana após o terremoto, suprimentos de emergência foram jogados para ilha

Com o pouso do helicóptero foram distribuídos  22,800 quilos de litros de gasolina e querosene, e alimentos para 100 refeições e foram entregues também  telefones via satélite que permitirá aos moradores se comunicarem com os hospitais para pedir ajuda no caso de alguma doença ou lesão.

 

Pensávamos que as equipes de socorro são normalmente, eram capazes de atingir todas as partes das área afetadas dentro de um ou dois dias depois de um desastre. Mas não aconteceu assim.

Medicamentos e materiais de emergência, finalmente, começaram a atravessar as áreas mais afetadas.

Na ilha Tashirojima, os moradores mais jovens da  ilha, que são os que tem 50 anos, ajudaram a transportar e
distribuir a carga preciosa trazida pelo helicóptero

The Great Tohoku Kanto Earthquake: Rescue Finally Arrives at Remote

Island: Tashirojima Island, Ishimaki City, Miyagi Prefecture

.Fonte: http://mainichi.jp

Enquanto as imagens da Ilha dos Gatos, não chega, há ainda muitos gatos que sobreviveram no Japão, como esse gatinho de sorte no vídeo “Gato Sobrevivente do Japão”.

 

Arigato!

 

>A Hora do Planeta, tá chegando

>

Sábado, dia 26 de março, das 20h30 às 21h30. Apague as luzes para ver um mundo melhor.

A Hora do Planeta, conhecida globalmente como Earth Hour, é um ato simbólico no qual todos são convidados a mostrar sua preocupação com o aquecimento global. É uma iniciativa global da Rede WWF para enfrentar as mudanças climáticas.

Durante a Hora do Planeta, pessoas, empresas, comunidades e governo são convidados a apagar suas luzes pelo período de uma hora para mostrar seu apoio ao combate ao aquecimento global.

hora_do_planeta

Em 2010, a Hora do Planeta foi um sucesso absoluto, com recordes estabelecidos no mundo e no Brasil. Globalmente, 105 nações, 4.211 cidades e 56 capitais nacionais aderiram. Já no Brasil, mais de três mil empresas, 579 organizações, três governos e 98 prefeituras participaram do movimento simbólico de alerta contra o aquecimento global e em favor da conservação de ecossistemas terrestres e aquáticos.

Junte-se a este movimento! Visite o site www.horadoplaneta.org.br e veja como participar!

Saiba como foram as edições anteriores da Hora do Planeta

A Hora do Planeta é um movimento de todos nós. Ela une cidades, empresas e indivíduos para demonstrar às lideranças mundiais – e, principalmente, para mostrar uns aos outros – que queremos uma solução contra o aquecimento global. É uma oportunidade única para nós, brasileiros, de nos unirmos com a comunidade global em uma única voz para deter as mudanças climáticas.

Fonte: http://www.wwf.org.br/informacoes/especiais/horadoplaneta/

earth_hour

 
Deixe um comentário

Publicado por em 03/24/2011 em Hora do Planeta

 

>Tsunami leva Toninha para campo de arroz

>

 

Os voluntários que estão resgatando os animais de estimação, nas áreas atingidas pelo terremoto e o tsunami no Japão, não acreditavam no que ouviram ao telefone na manhã de 22 de março de 2011.

-“Há um golfinho dentro dos campos de arroz!”, Disse o interlocutor.

Voluntário: – “Onde em qual local?

Interlocutor: – “A dois quilômetros da praia no interior da costa em Sendai!”

E lá foram eles, para salvar mais uma frágil vida.

O Sr. Taira Ryo (32), dono de uma loja de produtos para animais a “Dogwood” em Sendai, até tinha planejado visitar Ishinomaki naquele dia.Desde o terremoto, ele e mais 30 voluntários passaram a resgatar animais de estimação que foram separados de seus donos e também a abrigar os animais, que já não conviviam bem nos abrigos mistos para os refugiados da tragédia. Até essa data, eles estavam com um total de 80 animais entre cães e gatos.

Ele disse que demorou algum tempo para entender aquele estranho telefonema. Mas acelerou sua Van, em direção a Ishinomaki.E ao chegar, avistou alguma coisa se contorcendo dentro do campo de arroz, mas que agora estava inundado com a água do mar.

Era uma toninha (nome científico Neophocaena phocaenoides)

toninha

A pessoa que ligou para pedir ajuda, foi o Sr. Masayuki Sato (55). Ele estava passando com sua bicicleta, no trajeto que faz entre o abrigo e os destroços do que antes era a sua casa, ouviu o espirro de água e notou um objeto marrom escuro dentro da poça de água, onde antes havia um campo de arroz..

“Como fui eu que o achei, eu sabia que “eu tinha” que fazer alguma coisa”.

– “A Toninha também foi mais uma vítima da tsunami!”, disse o Sr. Sato.

No centro de refugiados, onde ele está abrigado, havia um cartaz com um número de telefone, para quem necessita-se chamar o resgate para animais, e ele voltou ao abrigo e ligou para o número, pois sabia que aquela seria a última esperança para salvar o animal.

O Sr. Taira, e um casal de amigos, que foram ao local indicado, fizeram uma maca com as peças de carros e um colchonete (também chamado de futon no Japão), que encontraram nos destroços que estavam por ali.

-“Tentei pegar o golfinho, com um pedaço de rede, mas sem sucesso.

Como só é possível entrar na área dos destroços com botas de borracha alta, o Sr. Taira que já estava preparado, entrou na água e o pegou em seus braços.

Todos os aquários da prefeitura foram danificados pelo terremoto e o tsunami, e não havia como contatá-los por telefone, então eles receberam alguns conselhos, através de alguns conhecidos, que foram orientados por um veterinário, que disse a eles, que a única coisa que eles podiam fazer era cobri-lo com toalhas molhadas e sobre um piso molhado, até que eles conseguissem devolve-lo ao mar.

E entre as pilhas de detritos, casas e carros contorcidos, eles foram abrindo caminho com a Van, até chegar à praia, e lá foram puxando-o pela cauda, o mais longe que puderam, até que ele se lançou pulando a onda e indo para o oceano.

E enquanto observava a Toninha nadar mesmo devagar, pensava que ela já estava bem distante. Eu não sei se ela vai sobreviver, mas é muito melhor do que morrer dentro de um campo de arroz”, disse ele.

Especialistas relataram que o local é o limite norte do habitat natural dessa espécie de Toninha.

Pelo seu tamanho e coloração, eles presumem se tratar de um filhote que foi separada de sua mãe.

Se você quiser enviar um e-mail de agradecimento ao senhor Taira pela sua dedicação, seu e-mail comercial é:

http://www.dogwood-jp.com/mail.htm

 

Artigo original por Yasunobu Shisui (泗水 康 信) de Asahi

Shimbun: http://www.asahi.com/national/update/0322/TKY201103220507. Html

Traduzido do Japonês para o Inglês por Varnam Simon

Adaptação p/ português: Marli Delucca.

 

>Gatinha grávida precisa de ajuda para respirar

>

Essa linda gatinha de apenas 1 ano, é uma das muitas filhas entre os filhos da Protetora Sandra Ferro.

Morando em Goiânia, longe do grande eixo Rio-SP, seus ações em prol dos animais lhe rendem sempre mais filhos de pêlos.

casos_ferro

Recentemente a gatinha Mon Chérrie, começou a apresentar dificuldade para respirar.

Levada ao veterinário, este solicitou que fosse feito um ultra-som para localizar a disfunção.

gata_ferro  gata_ferro1

O resultado inesperado foi de a gata está grávida, no sistema respiratório, nada foi encontrado, mas ela ainda continua com dificuldade de respirar.

Talvez seja necessário submete-lá a uma cesárea, para preservar sua vida e a dos gatinhos.

A protetora Sandra Ferro é mais conhecida entre os outros protetores por divulgar o trabalho de todos, e sempre fez “milagres” para conseguir “bancar” seus resgates, e agora está sem condições de custear o tratamento que a gatinha precisa.

E por esses motivos que peço as pessoas que a ajudem neste momento de necessidade. Sei que há pessoas solidárias e que acham que R$ 10,00 não fará diferença, mas isso é um engano, faz muita diferença para quem precisa.

Caixa Econômica Federal ou Lotéricas
Banco 104 Ag. 1575 Op. 013
Conta  Poupança n° 00675550-1
sandraferro_gata

Obrigado,

Marli Delucca

 
Deixe um comentário

Publicado por em 03/21/2011 em Ajuda, Animais, Gata, Goiania

 
 
%d blogueiros gostam disto: